Tentativas de Criptojacking Surgem no segundo trimestre de 2020 com o aumento do preço do bitcoin

Como os preços de Bitcoin e Monero aumentaram desde o início do ano, o número de tentativas de criptojacking também saltou de forma correspondente.

Um relatório recente indicou que, como prova de trabalho baseado em moedas criptográficas como Bitcoin Up e Monero estavam aumentando de valor em 2020, os casos de criptojacking em todo o mundo aumentaram após um ano de declínio contínuo.

Cryptojacking On The Rise Em 2020

O termo criptojacking refere-se a quando uma pessoa não autorizada ganha acesso a um computador para mineração (ou cunhagem) de bens digitais. Esses ataques às vezes podem ser tão precisos e críticos que a vítima não consegue compreender o que está drenando o poder de seu dispositivo por um período prolongado.

O recente documento compilado pela empresa de segurança cibernética Symantec destacou que estes ataques já haviam diminuído drasticamente desde o fechamento da CoinHive, fabricante de roteiros de mineração baseada em navegador, em março de 2019.

Entretanto, a situação piorou com o início deste ano. Outro relatório da empresa russa de segurança cibernética Kaspersky informou sobre um aumento de 300% nas tentativas de criptojacking somente no primeiro trimestre de 2020.

Com o segundo trimestre, a Symantec afirmou que os eventos de criptojacking baseados em navegador bloqueados pela empresa „viram um aumento de 163% em comparação com o trimestre anterior“.

A empresa atribuiu o crescimento ao aumento dos preços e ao interesse em ativos digitais à prova de trabalho, como Bitcoin e Monero. A BTC despejou para seu mínimo anual de menos de $4.000 durante os dias mais intensos da pandemia COVID-19 em março, enquanto a XMR ficou em $32. Com a Bitcoin negociando a mais de $11.000 e a Monero subindo para mais de $90 no momento em que foi escrito, ambos os ativos bombearam aproximadamente 180% desde então.

O Criptojacking é uma ameaça crescente

Relatórios destacando exemplos de tentativas de criptojacking muitas vezes surgem de todo o mundo. Um recente apontou que o México e alguns outros países latino-americanos foram alvo de várias tentativas desde o início do ano. As empresas mexicanas que empregam serviços de nuvem se queixaram de serem particularmente vulneráveis a tais ataques.

A empresa de segurança cibernética eslovaca ESET também observou que identificou e derrubou pelo menos uma parte de um botnet Monero-mining chamado VictoryGate. A empresa advertiu que a VictoryGate está ativa há mais de um ano e meio e já infectou mais de 35.000 dispositivos.

Conseqüentemente, não é surpresa que os profissionais de TI considerem o criptojacking uma grande preocupação. Um estudo recentemente conduzido destacou que quase 90% dos especialistas em TI acreditam que tais ataques poderiam perturbar dispositivos pessoais e redes mais complexas nos escritórios da empresa. Entretanto, eles também afirmaram que muito poucas organizações haviam iniciado medidas adequadas para se protegerem.